PESQUISE

Carregando...

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Relatório de Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental


1- INTRODUÇÃO
Relatório de investigação apresentado à disciplina Estágio Supervisionado de Educação Infantil, ministrada pela docente M.Sc. Amélia Mesquita, e solicitado como requisito avaliativo parcial aos discentes do curso de Pedagogia, da Universidade Federal do Pará, do Campus universitário de Bragança,em período letivo intensivo.

A execução do estágio se deu na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Julia Quadros Peinado, localizada na Rodovia Bragança/Capanema, 553, no bairro Vila da Celpa, no município de Bragança-PA.

A atividade de estágio foi executada em quatro dias, sendo três de investigação em sala de aula e um dia junto ao corpo gestor e administrativo da escola. O período de investigação na escola se deu entre os dias 14 e 18 do mês de maio de 2012.

Visou-se neste estágio diagnosticar de que forma se dá a atuação dos professores nas séries do primeiro e segundo ciclo do Ensino Fundamental, em vista de que a formação destes acadêmicos inclui também a atuação nos referidos ciclos. Visou-se, ainda, prever a necessidade de intervenção pedagógica nas séries investigadas, a fim de contribuir com a escola, e, sobretudo, com os professores que receberam os estagiários em suas aulas.

Esse aluno necessita de um professor bem informado e preparado para trabalhar conteúdos e dar conta das exigências de uma educação moderna e atualizada, em um mundo globalizado, que desperte o interesse e a vontade da criança apropriar-se de novos conhecimentos e experiências positivas, a alegria da convivência e descobertas de saberes, valores e lições de cidadania que a acompanharão pela vida, tornando-a cidadã instruída, consciente de seus direitos e t de seus deveres. Que saiba conviver e respeitar a diversidade, a natureza e faça pleno uso dos meios de informação e tecnologias disponíveis.

2- FUNDAMENTAÇÕES TEÓRICAS
Tem-se em consideração que no ensino fundamental o processo de ensino-aprendizagem deve se dá de maneira diferenciada, respeitando as fases de desenvolvimento em que as crianças se encontram, assim, há necessidade de versar uma prática educativa que apresente recursos atrativos às crianças, uma vez que estes elementos são inerentes ao “mundo” da criança

Tratar da atuação do pedagogo nas salas de aula requer antes enfatizar a importância dos conhecimentos sobre as teorias da psicologia, como também sobre ludicidade e didática na educação.

Assim, considera-se importante abordar algumas contribuições de Piaget, no que toca à questão da interação da criança com o ambiente, tendo em vista que é essa interação que faz com que se construam as estruturas mentais da criança, que por sua vez tende a adquirir maneiras de fazê-las funcionar. O eixo central nesse ponto, portanto, é a interação organismo-meio, de modo que essa interação acontece através de dois processos simultâneos: a organização interna e a adaptação ao meio, funções essas exercidas pelo organismo ao longo da vida.

Piaget elabora uma teoria do conhecimento e desenvolve muitas investigações cujos resultados são utilizados por psicólogos e pedagogos, e reside nesse foco, de resultados e contribuições, que este estudo está voltado.

Assim, falar sobre essas teorias de Piaget implica em colher os resultados de seus estudos como contribuição para formação de homens "criativos, inventivos e descobridores", uma vez que segundo ele o homem é resultado de um processo de desenvolvimento que inicia na infância, e de tal processo devem resultar pessoas críticas e ativas, as quais necessitam viver em busca constante da construção de conhecimento e da autonomia.

Segundo Piaget:
“A inteligência é uma adaptação. Para aprendermos as suas relações com a vida, em geral, é preciso, pois definir que relações com a vida, em geral, é preciso, pois redefinir que relações existem entre o organismo e o meio ambiente. Com efeito, a vida é uma criação contínua de formas cada vez mais complexas e o estabelecimento de um equilíbrio progressivo entre essas formas e o meio...” (PIAGET, 1982, p.18)
Essa teoria Piagetiana foi eleita para embasamento neste trabalho em vista das condições físicas do espaço de algumas salas de aula improvisadas, em decorrência da reforma predial da Escola Julia Quadros.

O lúdico aplicado à prática pedagógica não apenas contribui para a aprendizagem da criança, como possibilita ao educador tornar suas aulas mais dinâmicas e prazerosas. Cunha (1994) ressalta que a brincadeira oferece uma “situação de aprendizagem delicada”, isto é, o educador precisa ser capaz de respeitar e nutrir o interesse da criança, dando-lhe possibilidades para que envolva em seu processo, ou do contrário perde-se a riqueza que o lúdico representa.

Educação corresponde, pois, a toda modalidade de influências e inter-relações que convergem para a formação de traços de personalidade social e do caráter, implicando uma concepção de mundo, idéias, valores, modos de agir, que se traduzem em convicções ideológicas, morais, políticas, princípios de ação frente a situações reais e desafios da vida prática. Neste sentido, educação é instituição social que se ordena no sistema educacional de um país, num determinado momento histórico; é um produto, significando os resultados obtidos da ação educativa conforme propósitos sociais e políticos pretendidos; é processo por consistir de transformação sucessiva tanto no sentido histórico quanto no de desenvolvimento da personalidade.LIBÂNEO (1994) ”educação escolar constitui-se num sistema de instrução e ensino com propósitos intencionais, práticas sistematizadas e alto grau de organização, ligado intimamente ás demais práticas sociais”.
3- EXECUÇÕES DO ESTÁGIO
3.1- Etapas do estágio
No dia 15 de Maio fomos à escola a fim de apresentarem-se à gestão e coordenação da escola, e para a entrega do ofício. Sendo que atividade de estágio foi executada em quatro dias, a partir do dia 15 a 18 de Maio de 2012, neste primeiro dia fizemos a execução da primeira etapa do estágio, sobre as características organizacionais e administrativas da escola.

Segundo o Projeto Político Pedagógico, é uma escola identificada com o processo de construção de uma sociedade mais justa. Como um espaço em que a prática pedagógica é entendida como uma prática de vida, de todos e com todos, na perspectiva de formar cidadãos e cidadãs que integrem e contribuam para sua comunidade. Uma escola democrática, competente e comprometida com a aprendizagem significativa do aluno, buscando transformar informações em saberes necessários à vida dos alunos.

A escola possui atualmente, aproximadamente 800 alunos, matriculados nos três turnos de funcionamento, 50 professores, 07 funcionários administrativos, englobando secretários, auxiliares e monitor, e 07 funcionários de manutenção e limpeza (merendeiras e serventes).

Nos dias16, 17 e 18 de Maio executamos a segunda etapa do estágio, nesses dias ocorreram às investigações em sala de aula, que estavam locadas na Arena Soccer do Birré, um espaço improvisado para atender 4 turmas da escola, sendo duas turmas de 3º/9 e duas de 5º/9. De maneira que a equipe de estagiários dividiu-se em 3 duplas, duas duplas executaram a investigação nas turmas de 3°/9 e outra dupla em uma das turmas de 5º/9.

3.2. Relatos de Investigação.

3.2.1 Investigação executada na 1° turma.
A dupla de estagiários da 1° turma fez investigação em uma turma de 3º/9, a referida turma possui um total de 25 alunos, sendo 1 especial. Vale ressaltar que antes de as turmas estarem locadas na Arena, as duas turmas de 3º/9 dispostas no local formavam uma única turma de 50 alunos, e as professora desta, dispunha-se anteriormente como professora auxiliar.

“No primeiro dia a professora ministrou aulas de Geografia e Matemática, cujos conteúdos foram “Formação Geográficas” e Pares e Ímpares”. No segundo dia a aula ministrada foi de Ciências, com o conteúdo “Higiene e Saúde”. No terceiro dia a professora ministrou aula de Língua Portuguesa, trabalhando “interpretação de texto”.

Vale ressaltar que como a escola disponibiliza o horário intermediário, grande parte do horário das aulas é comprometido, tendo em vista que o a entrada dos alunos é as 07h00min da manhã, o recreio é as 9h00min e a saída as 10h00min. Assim, muito tempo é gasto para a organização da turma e inicio efetivo da aula.

A professora é licenciada em Geografia, mas tem vínculo efetivo pelo magistério, foi possível perceber que a relação professor-aluno é estável, embora a professora admita ter mais aptidão em lhe dar com alunos de faixa etária maior.

Não se pode deixar de mencionar que o ambiente compromete a qualidade das aulas, uma vez que o espaço muito apertado não permite que a professora acompanhe de perto as atividades dos alunos, além da dificuldade de concentração e constante dispersão por parte das crianças. Nesse sentido, é possível relacionar as dificuldades de aprendizagem dos alunos às condições desfavoráveis do ambiente, dessa maneira, a situação percebida na sala de aula investigada, leva a refletir teoria Piagetiana.

Segundo Piaget, a adaptação só é bem sucedida quando o organismo atinge o equilíbrio entre, por um lado à assimilação dos elementos da realidade exterior e, por outro, a acomodação a essa realidade dos esquemas internos de assimilação. Assim é possível afirmar que as condições a que os alunos estão expostos compromete consideravelmente a aprendizagem, o que foi percebido, sobretudo, nas atividades matemáticas.

Dentre os conteúdos, notou-se que a grande maioria da turma apresenta dificuldades com Sistema Numérico Decimal, esse fato pode ser atribuído a ausência de recursos diferenciados por parte da professora, uma vez que foi possível notar que o único recurso adotado nas aulas foi quadro e giz.

Assim, apesar de os alunos possuírem o livro didático de matemática, assim como das demais disciplinas, percebeu-se que os mesmos não são utilizados.

Dessa maneira, grande parte do tempo das aulas acaba sendo destinado a copia de conteúdos do quadro. Vale ressaltar que todos os alunos retiram o conteúdo do quadro, embora não saibam interpretar o que copiam. Notou-se também a dificuldade dos alunos nesse sentido, uma vez que grande parte deles necessita de auxilio direto da professora, tanto para compreensão do conteúdo quanto para o desenvolvimento das atividades.

Notou-se, portanto, que a metodologia aplicada não tem contribuído para o desenvolvimento da autonomia e criticidade dos alunos, uma vez que o ensino tem se mostrado uma mera reprodução do conhecimento já sistematizado e transmitido pela professora, em vista que o assunto não é contextualizado e não leva em consideração os conhecimentos prévio dos alunos.
3.2.1 Investigação executada na 2° turma.
A dupla de estagiários da 2° turma, fez investigação em uma turma de 3º/9, a referida turma possui um total de 24 alunos na faixa etária de 7 anos aproximadamente.No primeiro dia a professora ministrou aulas de Matemática, cujo conteúdo ministrado foi Sistema de numeração, Dezenas e Unidades. No segundo dia a aula ministrada foi de Ciências, com o conteúdo “Higiene e Saúde”. No terceiro dia a professora ministrou aula de Língua Portuguesa, trabalhando “interpretação de texto”.

Vale ressaltar que como a escola disponibiliza o horário intermediário, grande parte do horário das aulas é comprometido, tendo em vista que o a entrada dos alunos é as 07h00min da manhã, o recreio é as 9h00min e a saída as 10h00min. Assim, muito tempo é gasto para a organização da turma e inicio efetivo da aula.

Durante a observação, percebemos que a turma apresenta um bom desempenho. No entanto, há três alunos que apresentam dificuldades no que diz respeito a leitura. Diante disso, surgiu a necessidade de passar aos alunos com dificuldades, atividades diferenciadas como, por exemplo, atividade feita nos cadernos dos alunos. Nesse sentido ressalta Zabala:
“Sobre a concepção de aprendizagem, o autor afirma que não é possível ensinarmos sem nos determos nas referências de como os alunos aprendem, chamando a atenção para as particularidades dos processos de aprendizagem de cada aluno (diversidade).” (ZABALA, 1998, p.2)
Em suma, sobre a citação à cima pode-se dizer que o professor tem que levar em consideração a particularidade de cada aluno, no que diz respeito a questão dos processos de aprendizagem, diagnosticando a dificuldade do aluno e posteriormente ministrar o ensino de acordo com sua capacidade de aprendizagem.
3.2.1 Investigação executada na 3° turma.

A dupla de estagiários da 3° turma fez a investigação da turma de 5°/9, a mencionada turma possui 50 alunos com a faixa etária de 10 a 12 anos, sendo que a turma foi dividida em duas, por conta do espaço pequeno. O contato com o professor foi de fácil acesso, pois ele era uma pessoa muito receptível, explicamos pra que à principio só iríamos observar a aula e depois variamos a intervenção.

No primeiro dia o professor ministrou aula de história cujo conteúdo era Capitanias Hereditárias, onde “ observamos a aula de história que durou cerca de três horas aproximadamente com o intervalo de quinze minutos para o recreio”.

No segundo dia ele continuou ministrando a mesma matéria, por conta de ser muito extensa.

Vale ressaltar que por conta da divisão das salas por compensado, as aulas ficavam prejudicadas, os barulhos e objetos que eram atirados pela outra turma dificultavam as aulas do professor, tendo em vista que tirava a atenção dos alunos.

O professor até que se esforçava para lecionar, mas a situação da sala não ajudava muito, o espaço não oferecia o conforto que as crianças precisavam para aprender, sua atenção era direcionada para os colegas do lado e não para a aula que o professor estava ministrando.

Notou-se uma grande dificuldade que os alunos tem para entender a matéria, por conta talvez de poucos recursos trazidos pelo professor, da má locação onde se encontra os alunos ou ainda dos materiais que a escola não dispunha.

Dessa maneira, grande parte do tempo das aulas acaba sendo destinado a copia de conteúdos do quadro. Vale ressaltar que todos os alunos retiram o conteúdo do quadro, embora não saibam interpretar o que copiam. Notou-se também a dificuldade dos alunos nesse sentido, uma vez que grande parte deles necessita de auxilio direto da professora, tanto para compreensão do conteúdo quanto para o desenvolvimento das atividades.

5- CONCLUSÃO

O Estágio Supervisionado é uma parte do currículo muito importante na formação do futuro professor porque é a oportunidade de experimentar e realizar, na prática, o conhecimento teórico adquirido no decorrer da sua formação acadêmica. No entanto, a apreensão e a ansiedade no início são normais, devido a pouca experiência, e a responsabilidade de realizar um bom trabalho. Contudo, a integração com a direção, com as professoras regentes e principalmente com os alunos possibilitou o bom andamento desse estágio.

O estágio como experiência foi uma oportunidade de aprofundar os conhecimentos e a capacidade criativa na resolução dos impasses encontrados durante esse período. É claro que o estágio não foi perfeito, equívocos ocorreram, mas estes também fazem parte do processo de aprendizagem.
REFERÊNCIAS
PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência na criança. 4. Ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.
ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Editora Arte Médicas Sul Ltda., 1998.
CUNHA, Nylse Helena. “Brinquedoteca: um mergulho no brincar”. São Paulo: Matese, 1994.
LIBÂNEO, José Carlos. Prática educativa, pedagogia e didática. In: Didática. São Paulo: Cortez, 1994.


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE BRAGANÇA
FACULDADE DE EDUCAÇÃO- FACED

DOCENTE: AMÉLIA MESQUITA
DISCENTES:
ADRIANO CAXIAS
ANDREIA RODRIGUES
DEUSIMAR VIANA
GLAYCE FERNANDES
GIOVANNE OLIVEIRA
LANNA COSTA








Nenhum comentário:

Postar um comentário